Têxtil e Moda na USP

têxtil e moda na usp

Estou devendo esse post faz muito tempo, nesses (quase) quatro anos de graduação na USP, muita gente me pergunta sobre meu curso, vamos explicar direito. Estou no último semestre no curso de Bacharelado em Têxtil e Moda, entrei em 2012 e vou me formar agora no final do ano. O curso tem a duração de 4 anos, e é um curso matutino

O curso é oferecido no campus EACH – Escola de Artes, Ciências e Humanidades, USP Leste. Tem a estação da CPTM USP Leste que é praticamente dentro do campus, existem duas saídas na estação, uma para o bairro, Ermelino Matarazzo, e outra para o campus. Para quem vai de carro, na Rodovia Ayrton Senna tem um acesso, o endereço da universidade é Av. Arlindo Béttio, 1000 Ermelino Matarazzo.

Pelo site do guia do estudante esse é o curso:

O curso está organizado em três grandes pilares: tecnologia de material e de produção; gestão; e design e moda. São ministradas matérias básicas, como matemática, química e física, disciplinas específicas da área e outras voltadas para aspectos culturais e de negócios. Entre as específicas, o aluno estuda desenvolvimento de produtos têxteis, materiais, fibras e fios sintéticos. Já nas voltadas para fundamentos culturais há disciplinas como história da moda, sociologia da moda e antropologia. Na área de negócios, são ministradas aulas de gestão de produto, estatísticas e tendências, marketing têxtil, logística e economia. O estágio e o trabalho de conclusão do curso são obrigatórios.

Mas isso é a verdade? Em certos termos sim, o curso é segmentado nos três pilares, indústria, criação e gestão. Vemos a cadeia toda, do processo de obtenção das fibras, à produção do fio e do tecido, ao beneficiamento, ao processo criativo de coleções, chegando a confecção do produto. E tudo que possa imaginar nesse caminho, entretanto por ser muito abrangente, para mim, faltou foco em algumas áreas que são mais exigidas no mercado, e outras que não são tão relevantes, foram muito aprofundadas.

Têxtil

Temos matérias de têxtil como:

  • Fundamentos de Indústria Têxtil, basicamente como a indústria é segmentado, o maquinário envolvido, os processos
  • Fibras Têxteis, os principais tipos de fibras usadas para confecção de tecidos
  • Beneficiamento, quais os processos químicos têxteis usadas para tingimento, toque, os acabamentos do tecido
  • Tecelagem/Malharia, como os tecidos são formados, os tecidos planos feitos na tecelagem, e as malhas na malharia
Criação

Algumas matérias de design:

  • Processo Criativo e Metodologia de Projeto de Têxtil e Moda, como criar uma coleção através de pesquisas do público alvo, entender como funciona os desejos desse público
  • Modelagem e Moulage, criação de peças na modelagem plana, explicando de maneira bem básica, aqueles moldes que vem nas revistas, e a moulage que é a construção 3D no manequim de peças, você vai moldando o tecido de acordo com o corpo
  • História da Moda/Sociologia da Moda, entender a história, os conceitos, porque usamos determinada peça, cor
  • Design de Acessórios de Têxtil e Moda/Projeto de Coleção
  • Tecnologia do Desenho Aplicado no Projeto de Têxtil e Moda, ilustrações de observação, movimentos, sombras.
  • Design de Superfície de Têxtil e Moda, desenvolvimento de estampas

Para o lado da gestão, as matérias são mais gerais, englobam mais sobre as matérias em geral, entendendo suas definições, do que focadas totalmente na moda:

  • Gestão Empresarial
  • Economia e Mercado Têxtil
  • Marketing Têxtil

Além de algumas matérias optativas que você escolhe fazer, como Moda e Mídia, Experimentos em Moulage e Modelagem Plana, Desenho e Ilustração de Têxtil e Moda, Introdução ao Figurino, e várias outras, que podem ser oferecidas, ou não, ao longo da graduação.

O curso da USP é relativamente novo, começou apenas em 2005, e desde então já foi reestruturado algumas vezes, para se adaptar aos alunos, ao mercado. Falando em mercado, algumas empresas ainda nem sabem que o curso existe, por ser um curso matinal, é um pouco difícil conseguir estágio, não impossível, muitas das empresas funcionam das 8h às 17h.

A USP favorece o lado acadêmico, é claro, somos incentivados a fazer pesquisas, iniciação científica,  a universidade possui convênio com outras universidades estrangeiras, sendo possível fazer intercâmbios.  A maioria dos trabalhos serão mais para o lado acadêmico, claro que alguns práticos, mas como eu disse, a universidade valoriza muito esse lado, tendo benefícios para os alunos que participam ativamente desse lado.

Prático

Quanto aos trabalhos práticos, os professores de Têxtil e Moda, ensinam um método criativo mais conceitual, serão poucos as criações comerciais, o que mais será criado serão os amados/odiados “abrigos”, projetos conceituais de acordo com diversos temas, com diferentes materiais, usos, funções, você criará um abrigo para o pé, de metal, com o tema de sonhos e devaneios, e de algum jeito, terá sentido. Quanto ao lado comercial, senti falta de algumas coisas que o mercado exige, como saber usar alguns programas de computador, como Photoshop e Illustrator.

Sendo sincera, se você quer trabalhar com jornalismo de moda, faça jornalismo e leve sua graduação para o lado da moda, as faculdades de jornalismo tem optativas de jornalismo de moda, você pode conversar com seus professores para seus trabalhos tenham temas de moda. Se quiser ser designer, trabalhar com criação totalmente, na minha opinião pessoal, não querendo ofender ninguém, nem depreciar nada, prefira um curso de design de moda, que vão te guiar melhor para criação. Talvez se você for mais focado, terá melhores oportunidades na sua área.

Mas se você for como eu, que não tinha certeza absoluta do que queria, apenas que era moda, e que não tinha muitos meios financeiros para fazer uma faculdade particular, o curso de Têxtil e Moda vai te ajudar a se encontrar, talvez sim, talvez não, talvez você comece a ver esse mundo de perto e queira correr pra longe dele, afinal de glamour, esse mundo da moda tem quase nada, você vai ter que trabalhar muito, vai se dar com muita cara na porta infelizmente, vai conhecer gente que vai te enlouquecer e te decepcionar, mas também vai conhecer gente muito boa, que não tem medo de arregaçar as mangas e trabalhar, que entendem de Chanel e mercado de luxo, mas que sabem que o que faz o mundo girar (e dar dinheiro), são as lojas do grande público, e não tem preconceito, sabem que moda é moda em qualquer lugar.

Se você aguentou até aqui, as inscrições da FUVEST 2016 já começaram, talvez eu tenha te convencido a fazer Têxtil e Moda e você está mais certa do que nunca, talvez eu tenha despedaçado todos seus sonhos e você me odeia agora. Se você já está pensando em fazer moda, parabéns, você já corajosa, já ouvi que eu era sortuda por poder estudar/fazer o que eu gosto, você também é. Não me deixe fazer você desistir do que quer, só porque eu falei/escrevi algo que você não gostou, não significa que isso seja a verdade absoluta. Escrevi aqui sobre a minha opinião, sobre como eu vi minha graduação, você pode fazer o mesmo curso e ver de uma forma completamente diferente.

Se você não sabe/gosta de desenhar, não se preocupe, nem todo mundo é estilista nesse ramo, não sabe costurar, não se preocupe, nem todo mundo é costureira. Existem diversas profissões na moda, do têxtil, à criação, à gestão, você vai encontrar algo que gosta, e não vai nem lembrar que eu despedacei seus sonhos. Porque se tem algo que aprendi nesses (quase) quatro anos de universidade, é que você tem que aprender a se reinventar, sabe aquela história de levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima? A vida é bem assim, e Têxtil e Moda na USP não é nada diferente, passei por greves, contaminações ambientais, interdições judiciais, trabalhos malucos, pessoas ainda mais malucas, e estou aqui, firme e forte, quase chegando na linha de chegada.

Se ficarem com alguma dúvida, podem comentar aqui, na página do blog no Facebook (Curte lá), vou adorar ajudar!

 

PS: Me ajudem a me formar! Meu TCC, e da Rafaela, é sobre a influência dos blogs no consumo, tendo o Garotas Estúpidas como estudo de caso, se você for leitora do GE, pode responder nossa pesquisa? É rapidinho e vai nos ajudar muito! O link é esse http://goo.gl/forms/pJRkfjmD8N

Beijos,

Amanda.

Anúncios

Jardineiras

Jardineira 4Já faz um tempo que tenho visto algumas jardineiras por aí, verão no hemisfério norte, só dava ela no streetstyle. Confesso que não tenho opinião formada pela peça ainda, me lembra muito roupa de criança. Mas com as lojas já lotadas com a coleção primavera/verão, tenho visto ainda mais jardineiras jeans, curtas, cumpridas, destroyed, de outras cores. Amei esses 4 looks, acho que não usaria, mas que a camiseta listrada, a jaqueta xadrez e a camisa jeans, deixaram a jardineira maravilhosa, não nego. Amo o estilo da Julie do Sincerely Jules, acho que esse look eu usaria, alpargatas, camiseta branca, e esse cabelo maravilhoso.

Jardineira 6

O primeiro segredo para usar, para mim, é escolher um modelo mais largo, não precisa ser enorme, estilo anos 90, mas algo que não marque tanto o corpo, a modelagem boyfriend funciona muito bem nas jardineiras. O modelo bem justo, com a calça skinny, me lembra muito algumas peças da Gang, lembram daquela marca de jeans carioca? Modelos super justos, levantando bem o bumbum, e marcando tudo e mais um pouco. Se a intenção é fazer a funkeira, essa é a escolha, mas prefira os modelos mais larguinhos, vestem muito melhor, e tem toda essa vibe fashionista.

Não gosto de impor nada, determinar que uma peça tem que ser usada de uma maneira específica e nada mais. Mas não vou negar que a jardineira calça funciona muito melhor com salto, alonga a perna e dá um efeito maravilhoso. Nas fotos dá para ver que para quem não alta e magra, o salto resolve bem. E o truque da barra dobrada, mostrando o tornozelo ajuda também.

Para a peça de baixo, menos é mais, está na dúvida, coloca uma camiseta básica, para dar uma interessância, uma camiseta listrada, uma camisa branca, ou com uma estampa não muito chocante, esse look com a camisa de bolinhas está lindo. Dependendo de onde você trabalha, esses looks com camisa branca e um scarpin, são totalmente usáveis, tem o lado fashion, mas ainda tem uma seriedade. Dá para ousar mesmo nos acessórios, uma cor forte de sapato, um colar poderoso, uma bolsa diferente, um batom vermelho.

Jardineira 1

Mas caso você seja como eu, e quase nunca usa salto alto, não desista. Continue com as jardineiras mais soltas, barra dobrada, e uma peça básica para combinar. Se você está com vontade de comprar uma jardineira, quando estiver em uma loja que tenha um modelo que você gostou, vale a pena provar com diferentes peças que você já tenha, vai com uma sapatilha básica, ou um outro sapato baixo que você goste e use muito. Prove e olhe de todos os ângulos, se gostou no corpo, se combinou com coisas que você gosta, tente ter o maior certeza possível antes de comprar.

Esse look com o slip on de onça está apaixonante, assim como o primeiro daqui de cima, é super básico, tem cara que viu a primeira roupa e colocou, mas tem toda uma coisa diferente. Essa peça tem que ter personalidade para usar, não é um look que a gente vê tanto por aí, mas se você tem vontade e se acha linda nele, já foi moda, já voltou e use feliz da vida.

Jardineira 5Para quem quer ser mais discreta, o modelo preto é ótimo. Principalmente se usado com peças pretas ou escuras por baixo. Os modelos de tecido mais fino, funcionam também para o trabalho. Olivia Palermo, linda e maravilhosa como sempre, mostra como a jardineira preta ficou boa com salto e sapatilha, e como deu outra cara com a camisa branca. Esse look com o tênis está lindo, parece preguiçoso, a jardineira folgada, o cabelo podrinho, mas tudo junto funcionou muito bem.

Jardineira 2
Para as ousadas, aposte nos modelos de couro. Já vi um modelo assim na Renner, mas já faz um bom tempo. Quase todos os looks daqui de cima são básicos, uma camisa ou camiseta branca, e um sapato básico, tanto a sandália, quanto o tênis, looks preto e branco não tem como errar. Achei linda essa peça com a parte de baixo de saia, gostei com a camisa estampada, mas acho que ficaria melhor algo no branco, ou cinza. Miroslava Duma, musa russa de streetstyle, ficou maravilhosa com a jardineira de couro nesse tom de vinho, e a camisa estampa, se eu tivesse o corpo dela e um super evento, queria sair assim amanhã.

Jardineira 3Mas o calor já está chegando, e a gente quer deixar as pernas de fora. Vou repetir mais uma vez, nada de modelos justos! Shorts larguinho por favor. A jardineira shorts fica linda com camisas e camisetas estampas, acho que por ser primavera/verão, a estação pede roupas alegres, leves, esse primeiro look da fileira de baixo, ficou ótimo com a camisa xadrez, tem uma cartela de cores próximas, varia no preto e branco, e os tons entre eles. O calor também pede conforto, aí acho que combinam mais as rasteiras, sapatilhas, tênis.

Tem vários looks lindos com jardineiras, continuo não sabendo se usaria, mas não digo nunca, pelo menos não mais, já falei de várias peças que nunca usaria, e hoje sou apaixonada, e outras ao contrário, jurava que usaria sempre, e hoje moram no fundo do armário. Mas se você se animou, tem que procurar e provar até achar uma que goste. E depois use com vontade.

Fotos: Pinterest

 

Como usar: Trench Coat

Trench coat

Quer comprar um casaco que você vai usar durante muito tempo e combina com tudo? Compre um trench coat, de preferência um bege, a cor tradicional, e pode investir em um bom, claro que se seu orçamento não permite um Burberry, várias marcas tem suas versões, Renner, Luigi Bertolli, Zara, a lista continua, só achar um que esteja na sua faixa de preço. O casaco foi uma adaptação de uma capa de chuva criada por Thomas Burberry, Thomas recebeu a missão do governo britânico de criar um casaco para os soldados na Primeira Guerra, cada detalhe do casaco servia a um propósito, as dragonas, aquela linguinha que fica nos ombros, servia para exibir as patentes dos oficiais e carregar o quepe, a aba no peito fornecia maior proteção para apoiar a arma, o cinto na cintura e nos punhos para manter o casaco firme no corpo, e proteger do vento. O gabardine, tecido invento por Thomas em 1879, é impermeável, revolucionou os casacos, que eram usados por soldados, exploradores dos polos, e os pioneiros da aviação ao redor do mundo. Mas hoje em dia usamos para trabalhar em situações menos aventureiras, para ir ao shopping, almoçar, passear.

Trench inverno

E com esse tempo louco de São Paulo, nem pensávamos que o frio voltaria, ele chegou congelando tudo. O trench é ótimo para esquentar, para os de tecidos mais finos, o segredo são as camadas, uma camisa de algodão, um suéter ou um tricot pesado, e o casaco, já resolvem, com jeans, legging, bota, tênis, sapatilha, scarpin, tudo funciona. O look total black fica melhor com mistura de texturas, Miranda Kerr usa a calça de couro, um tricot de blusa, e o tecido grosso, mas liso do casaco. Se você escolher o trench bege, ele vai com qualquer cor, mas se quiser manter a elegância, combine com preto, branco, azul marinho, cores mais sóbrias.

Trench coat 2

Mas se não estiver tanto frio, um calça jeans, uma camiseta, de listra para fazer a francesa, o sapato que quiser, e o trench, vai estar básica, mas com muita interessância no look. A camiseta listrada com azul marinho, jeans, sapatilhas ou um sapato de salto, nada muito alto por favor, são a cara do french style, clássica, confortável e sofisticada, esse último look daqui de cima da direita, é do livro A Parisiense, e a mocinha da foto é  Nine de la Fressange, filha de Inès, escritora do guia de estilo de Paris.

Trench cor estampaSe você já tem um trench bege, ou preto, e quer um outro diferente, os estampados e coloridos são uma boa opção, podem parecer muito mais difíceis de usar, claro que não são como o tradicional, mas combinam com várias coisas. O vermelho e o branco são os mais dia a dia, tenho os dois, não uso tanto o branco por dó de sujar, mas o vermelho fica ótimo com jeans, dá outra cara pro look. Mas se você gosta mesmo é de se arriscar na moda, pode escolher uma cor mais forte como o pink, ou o roxo, ou uma estampa, a oncinha é minha paixão, ainda vou encontrar um trench assim para morar no meu armário. Para usar tranquilamente os mais diferentes, o melhor é ser básica no resto look, jeans, camisa, escolher uma cor que esteja na estampa.

Trench calor

Com saia, shorts, vestido, o trench fica lindo, amo o truque do stylling de usar com vestido e arregaçar as mangas, literalmente, usei esse tipo de look esse fim de semana, tem foto lá no inta (já me segue lá?). O que acho legal do trench é que o look que parecia meio sem graça de shorts e camiseta, ganha toda uma vibe fashion com o casaco. Usar ele fechado, fazendo de vestido também é um truque legal, Olivia Palermo usou com a manga da camisa(?)  e a gola aparecendo, deu toda uma diferença.

É uma peça que vale o investimento, você vai usar quase o ano todo, dependo do clima de onde mora, combina com um milhão de coisas, e faz você pensar que vai guardar suas ricas dilminhas para comprar um original clássico em um futuro bem próximo.

Fotos: Pinterest

Como usar: Franjas

Franjas 1

De uns tempos pra cá, só se vê franjas, começaram nas bolsas, todas numa pegada folk, boho, mas aí elas dominaram, jaquetas, brincos, botas. Acho essa tendência perigosa, é boho para Barretos em um pulo, tem que escolher uma peça com franjas, e ser básica no resto. Mas se a intenção é seguir a tendência do western, capa e recheio das últimas Vogues Brasil e America, o do último desfile Metiers d’Art da Chanel, e não quiser ficar caricata, tem algumas peças e dicas de styling fáceis de adaptar.

Franjas 2Para mim, a jaqueta é difícil de usar, não mais que a calça, mas por favor, não use calça com franjas, ao menos que você esteja querendo o look rodeio. Kate Moss sabe usar esse tipo de peça como ninguém, o estilo dela meio boho, meio rocker, fica ótimo. Pro look ficar mais dia a dia, o bom é combinar com peças neutras, jeans, camiseta, deixar a jaqueta ser o foco. Eu prefiro as jaquetas de camurça, chamois, do que as de couro mesmo, o couro, principalmente o sintético, tem aquele brilho (vi uma jaqueta de couro preta, com franjas na frente, na liquida em três C&As diferentes, e era simplesmente horrível), acho que fica mais leve com a camurça, o aspecto de gasto.

Franjas 3A bota tem sido meu caso de amor e ódio durante esse inverno, alguns modelos acho lindo, outros quero queimar. Prefiro as de cano baixo, com só uma fileira de franjas, tem a vibe boho, mas não é demais. As de cano mais alto, não tenho opinião formada, esses looks ficaram ótimos, mas acho que é pela bota ser preta, e a calça também, fica uma coisa só, alonga a perna. Mas esse tipo de bota fica melhor em quem tem perna fina e longa, porque as franjas aumentam a região. A Cony do Futilish fez um look lindo com a bota de cano curto, vale o clique. Com vestido ficou uma graça, com esse tempo doido, dá para sair assim quase qualquer dia. Gosto muito das em tons de marrom e cinza, mais até que as pretas, são mais leves, e dá para usar o ano todo, com jeans, legging, vestido.

Franjas 4

 

Mas é nas bolsas que a franja é minha paixão, adoro o movimento, ficar trançando as tirinhas para passar o tempo. Ficam ótimas em qualquer cor e modelo, tanto as pequenas tiracolo, grandes e as de festa. Falando em festa, amo franjas fininhas em vestido de festa, aquela coisa bem anos 20, Art Deco, mas tem que ser aquelas fininhas, delicadas, que aumentam o brilho, deixam com cara de elegante. Mas voltando as bolsas, tem vários modelos diferentes, prefiro as tiracolo pequenas, e coloridas. O bom é que combinam com quase tudo, principalmente para o dia a dia, dependendo do modelo, elas combinam com looks mais básicos aos mais clássicos. Na coleção primavera verão da Renner, tem alguns modelos lindos.

Franjas 6Ao menos que você viva debaixo de uma pedra, só se vê brincos com franjas, sejam as longas de corrente, ou as mil variações do tassel, aquela coisa com mil franjas que sua mãe colocou na cortina. O modelo leque com tassel virou desejo absoluto, dos looks do dia no Instagram, a mil lojas, tem várias cores, tamanhos, preços. Tenho um brinco com franjas, bem escuro, naquela cor de ródio negro, com um desenho Art Deco e umas franjas um pouco compridas, que é meu xodó, adoro usar com cabelo preso, dá aquele destaque pro brinco. Na Renner tem alguns modelos, até uns coloridos, na 25 de Março tem um monte, e mais uma tonelada de lojas nos shoppings, Instagram, você vai achar que gosta.

 

Fotos: Pinterest, Reprodução.

 

 

 

O figurino de O Rebu

O Rebu 2

Sou noveleira assumida, gosto mesmo de assistir novela. Se juntar novela boa com figurino impecável então, grudo na frente da tv. Nas primeira chamadas de O Rebu, Sophie Charlotte aparecia correndo com uma saia de tafetá vinho mega dramática, eu já soube que ia enlouquecer com o figurino. E fora que a novela é drama até o último fio de cabelo, te prende mesmo. Como a novela se passa dentro de 24 horas mais ou menos, e alguns flashbacks, os personagens usam praticamente uma peça a novela inteira, variando entre a roupa que usaram na festa, e no dia seguinte durante a investigação. A equipe de figurinistas, comandada por Cao Albuquerque e Natalia Duran, teve que produzir pelo menos 2 modelos iguais de cada roupa, para os atores irem alternando durante as gravações.

Duda - Sophie

Começando pelos melhores figurinos, a personagem de Sophie, Duda usa dois vestidos na festa, um longo dourado de renda e tule bordado com pedrarias e paetês, feito pela grife carioca Martu, sob medida para Sophie usar. Já o segundo vestido (quem mais está curiosa para saber quando e por quê ela trocou de vestido na festa?), um curto branco bordado com pérolas, é da Mabel Magalhães, o vestido custa em torno de 6000 reais e tem lista de espera para comprar. Ah o batom maravilhoso que ela usa, o amado Ruby Woo da MAC. A saia desejo de tafetá vinho é da estilista Patricia Nascimento e o top bordado é do Atelier Davidson Zanine, e desejo sair assim amanhã de casa. Mas na minha opinião o que realmente deu o encantamento da atriz na novela, foi o cabelo curtinho, o pai da atriz que cortou, e depois a equipe da Globo deu uma finalizada. O cabelo curtinho ficou lindo em Sophie, a deixou elegante, a inspiração vai da atriz Jean Seberg e do cantor David Bowie, mas para mim, ela ficou a cara de Audrey Hepburn. No flashback quando Duda conhece Bruno, ela usa um vestido preto de veludo Carolina Herrera.

O Rebu

Maria Anélica, personagem de Camila Morgado, usa um Saint Laurent Paris bordado, quase transparente. O vestido de Angela Mahler, Patricia Pillar, foi produzido pela próprio Projac, em veludo alemão. O vestido de Betina, a linda Laura Neiva, também foi produzido pelo Projac, sendo uma versão mais curta de um Valentino dos anos 50. Gilda, Cassia Kiss, usa um Carolina Herrera preto e branco de um ombro só, de morrer de tão chic, o look do dia seguinte com a camisa branca, também é maravilhoso.

Tem mais um monte roupas maravilhosas, o figurino masculino de smokings e ternos impecáveis, as roupas dos convidados da festa no dia seguinte. Teve assassinato, mas essa foi uma festa que todo mundo estava morrendo para não perder.

 

Fotos: Reprodução.

 

 

 

 

Camisa Oxford

Camisa oxford

Se tem uma peça que toda pessoa deve ter, independente de sexo, idade, é uma camisa de alfaiataria,branca ou azul. É uma peça clássica que vai do casual para o formal, dependendo de como usada, se bem cortada, fica bem em diversos tipos de corpos, é o tipo de peça que vale o investimento. Em contra-partida das camisas de seda, que reinaram nos últimos anos com suas diversas cores e estampas, a camisa de algodão surge com um toque de classe maravilhoso, bem passadas, em tons de branco, azul claro, listradas delicadamente, a camisa de algodão mostra porque se tornou um clássico.

Valentino

O modelo oxford, que é mais masculino, não tão justo ao corpo, e tradicionalmente na cor azul bem claro, virou objeto de desejo instantâneo depois que Maria Grazia Chiuri e Pierpaolo Piccioli usaram a camisa com suas peças étnicas super bordadas. A camisa era o total oposto daquele exagero das outras peças, o look se tornava leve, e não mais caricato.

Camisa oxford 2

Em ambiente formais, não existe melhor escolha do que uma camisa, com calça social, jeans com lavagem escura, combinados com um blazer, por exemplo. Se seu trabalho não é tão formal assim, use a camisa, branca ou azul clara, com uma calça de alfaiataria com estampada ou uma cor diferente, dá uma interessância pro look, mas ainda fica sério. Agora com o frio, a camisa é perfeita para sobreposições, com suéteres, como nos looks de baixo, a gola aparacendo e o detalhe do colar, ficam ótimos. Destaque para a sobreposição com o vestido, deu outra cara com a camisa por baixo.

Saia

 

A saia funciona muito bem tanto para trabalhar, como para sair. Para trabalhar, modelos mais retos e em cores escuras, para ambientes mais formais, e estampados e com diferentes modelagens, para lugares mais informais, mas atenção no comprimento. Para sair aí não tem problemas, minis, bordadas, rodadas, de renda, todas ficam maravilhosas com uma camisa.

Jeans

Mas é com o jeans que a camisa mostra como é versátil, com skinny, rasgado, flare, colorido, fica ótimo com todos os modelos. Com salto, ou sapatilha, o que vale é o conforto, o que você se sente bem. E mesmo podendo acessorizar como quiser, a camisa+jeans, funcionam tão bem, que parece besteira colocar qualquer coisa a mais.

Você encontra vários modelos em várias lojas, mais baratas como Renner e Zara, como outras mais caras, mas que valem o investimento como Dudalina, Le Lis Blanc, e Richards, que tem alguns modelos mais retos que ficam maravilhosas. E não se prenda as peças femininas, algumas masculinas vestem maravilhosamente bem, tenho uma rosa clarinha masculina que é paixão.

 

Fotos: Pinterest, Style.com, Instagram Garotas Estúpidas.

 

 

 

Slip on de onça

Slip on 2

Quem me conhece sabe o quanto eu amo estampa de onça, sério mesmo, gosto de tudo de oncinha, e pra mim combina com tudo, com roupa lisa, estampada, com cor clara, cor forte. Só que a estampa de onça é complicada, tem vários tipos, acho a melhor definição a de onça rica/onça pobre (a Cony do Futilish explica melhor que ninguém essa classificação nesse post). Aí, já fazem alguns meses, vi no Instagram um slip on de oncinha da coleção da Chiara Ferragni para a Steve Madden, coração bateu forte, mas deixei pra lá.

Instagram

Desde então várias marcas fizeram suas versões, Forever 21, Schutz, Santa Lolla, Camila Coutinho por Dummond e mais um monte que a gente nem sabe. Eu adoro tênis, quando preciso usar algo confortável, não penso duas vezes, principalmente agora que existem bilhões de modelos diferentes, desde os esportivos quanto os fashions. Aí junta tênis e onça, o amor bate forte.

Aí a algumas semanas, meu feed do Instagram e do Pinterest (já me segue lá?) foram inundados por slip-ons de oncinha, vi essa foto aí embaixo no Pinterest do tênis com essa jardineira e sabia que precisava encontrar um tênis desse para morar no meu armário. Passando no shopping ontem, fui ver a vitrine da Dummond e lá estava ele, o slip-on da coleção da Camila Coutinho, no meu número, filho único e na liquidação, achei a onça linda, com cara de rica. Provei, mas achei melhor não levar, fui andar no shopping e ficava mostrando para minha mãe looks no Pinterest com o tênis, ela já estava ficando de saco cheio, só virou e me disse, ou você vai lá agora comprar, ou vai ter um treco. Óbvio que voltei correndo na loja e sai feliz da vida com a sacolinha.

Slip on

Mas aí você pergunta, dá para usar? Combina com que? Eu acho que onça combina com tudo, mas sei que tem gente que acha essa estampa super difícil. O jeito mais fácil de usar e com jeans e camiseta, ai a camiseta pode variar, seja com diferentes texturas, fazer sobreposição com jaqueta e suéter. Esse terceiro look, com as várias camada, e esse mega lenço xadrez, está maravilhoso, facinho de copiar, quero sair assim pra ontem! Mesmo não amando essa volta da jardineira, achei linda esse look. Look em preto e branco, combina divinamente, e dá para usar em qualquer lugar.

Inverno

Agora com o frio, que aparece alguns dias, aí some em outros, o slip-on funciona bem com meia-calça e saia, casaco pesado, legging. Um truque que funciona bem, é aparecer um pouquinho do tornozelo, deixa mais fashion rapidinho o look. Como o tênis é o foco, o melhor é usar com calça skinny ou reta, assim aparece bem.

Saia - vestido

Com saia, shorts e vestido, o slip-on é coringa, o look básico de um vestido de malha preto, já muda completamente com os acessórios certos. Usado com a saia jeans e a camisa de alfaiataria azul, ficou até com cara de arrumado.

Se você ficou com vontade de ter um, acho uma boa compra, estampa de onça já virou meio clássico, não é mais só tendência. Combina com bastante coisa, é confortável, e tem toda essa vibe fashion. E se você já tem, me manda o look! Posta no Instagram com a hashtag #amandacatarina, vou amar ver os looks de vocês!

 

Fotos: Pinterest, Instagram, Reprodução